quarta-feira, 13 de abril de 2011

WAIT

Para muitos essa é a hora de se descabelar, de se sentir menos, de fazer com que os olhos sejam lubrificados pela gota – lágrima, é hora da depressão, de sumir pelo cobertor, de rever o vocabulário, de mergulhar por Hobbes, Locke, encontrar sentido, desmistificar sensações, cair na maluquice de Nicolau Maquiavel a Voltaire, hora de fazer a cabeça doer, martelar, de sugar cada centímetro existente de paciência que possa existir em seu ser, de buscar conhecimento desmedido de uma vez só, seja na Ciência Politica, nas palavras confortantes das letras de Osvaldo Montenegro, AH! Que loucura, meu Deus.
Que decepção foi essa!
Não, mas para mim, é hora de jogar essas desconexidades, essa negatividade para longe.
Estudar sem começo e fim me fará confusa, distorcerei conceitos, perderei referências, bagunçarei meu pensar...
Ah, quão gostoso é estar em paz!
Para mim é hora de pegar o caos e fazer uma varredura, será que sobrará algo que eu possa transformar? Reciclar? Valera a pena mesmo?
Ou é hora de não querer insistir no livro em que o enredo se caminha para um final digno de tragédia que eu posso evitar?
Vamos lá, moça. Desista desse livro, não vale a pena tê-lo em sua biblioteca, jogue a peteca.
Queime, e o fogo vai queimar todas as linhas tortas, e das cinzas nada se aproveitará.
Ah, é hora de se acalmar. Quer amar? Procure ser amada antes!
Quer argumentar? Procure ouvir antes.
Quer viver aquele sentimento louco e envaidecido? Espere.
Mas, no momento, siga tranqüila!

Nenhum comentário:

Postar um comentário